banner-museu-entrada-gratuita
banner-museu-entrada-gratuita
ANTERIORANTERIOR
PRÓXIMOPRÓXIMO
Shadow

MUSEU DAS FAVELAS

O Museu das Favelas nasce em São Paulo, em razão do Decreto Estadual nº 66.194, de 8 de novembro de 2021, constituindo-se enquanto equipamento público da Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo. Desde janeiro de 2022, a gestão é realizada pelo IDG – Instituto de Desenvolvimento e Gestão, organização social de cultura. O museu será sediado no Palácio dos Campos Elíseos, edifício tombado e localizado na região central da cidade de São Paulo. 

Este museu está em processo de construção coletiva, e para isso, propõe uma série de ações em busca de aproximação, diálogo e reflexão com diferentes interlocutores do país. Buscamos um espaço que nasce ecoando vozes, lutas e memórias das favelas, constituídas através do canto, da fala, da pesquisa, da festa e do jogo, e de tantos que vieram antes de nós. Estamos trabalhando para tornar este museu um local de acolhimento e experiências, para que a partir do encontro possamos juntos construir o chão que queremos pisar e viver. 

Somos parte da importante rede de museus do Estado de São Paulo e buscamos nos conectar com pessoas que entendam que o caminho para a mudança precisa passar pelas experiências e memórias das favelas.

Reproduzir vídeo

O QUE É FAVELA PARA VOCÊ?

Cada pessoa que é atravessada pelo cotidiano das favelas traz uma visão, isso porque, mais do que território, favela é também experiência. A experiência daqueles que vieram antes e dos que continuam a ser atravessados por essas realidades, que não representam uma unidade: são múltiplas.

O Museu das Favelas propõe essa conexão direta com as experiências de quem vive nas favelas no cotidiano, em sua dimensão individual e coletiva, partindo de um local de pluralidade e diversidade de narrativas, que surge com a proposta de ser um ponto de encontro, de passagem, de acolhimento e de potencialização das favelas de suas memórias e produções. O museu busca ampliar o olhar, para além de uma imagem cristalizada do que é a favela e, também, do que é um museu.  Ele constrói uma visão expandida que inclui também as vivências que partem de periferias, quebradas, ocupações, assentamentos, malocas, regiões quilombolas, ribeirinhas, entre outras; espaços distintos, mas que compartilham histórias de segregação e resistência.

Como um pontapé inicial, nos dias 30 e 31 de julho aconteceu o Abre-Caminhos, com o Museu das Favelas abrindo suas portas pela primeira vez, num evento gratuito em exaltação e reverência ao Dia da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha, fomentando e impulsionando as produções, vivências, saberes e negócios culturais de mulheres de favela. Durante o final de semana, o público pôde conferir muita música, dança, intervenções culturais, rodas de conversa, brincadeiras destinadas às crianças, e ainda, circular pela feira de empreendedoras que comercializavam diferentes produtos. Foi um momento de encontros, reconhecimentos e acolhimento, que mostrou um pouco para onde queremos chegar. Em uma pesquisa realizada com o público do evento, grande parte das
pessoas o classificaram de forma positiva, ressaltando que se sentiram acolhidas e representadas dentro do espaço. Isso traz motivação, pois mostra que o objetivo de criação do Museu, está sendo alcançado. Esse esquenta demonstrou um pouquinho do que o Museu das Favelas se propõe a ser, representando um experimento de construção até o momento da abertura oficial.

Estamos trabalhando para construir um espaço de acolhimento para todos.

PROGRAMAÇÃO

Programação sujeita a alteração

Ciclo de encontros

SER FAVELA

Salve! Ser Favela é a primeira programação anunciada pelo Museu das Favelas.
De 15 de junho até 5 de setembro, em um ciclo de seis encontros temáticos e quinzenais,
convidamos a população para uma troca de saberes visando a construção coletiva do desenvolvimento conceitual do Museu das Favelas.
Os encontros serão realizados de forma online e transmitidos ao vivo pelo canal do youtube.

#6 encontro SER FAVELA

Ser Resistência na Favela

#5 encontro SER FAVELA

Ser Educado na Favela

BLOG

Acompanhe nosso blog com conteúdos e novidades.

CONTATO

NEWSLETTER

Sobre o Palácio dos Campos Elíseos

1898 a 1911:
foi a
residência da família do cafeicultor e político Elias Antônio Pacheco e Chaves, sua esposa Anésia Malvina da Silva Prado e seus dez filhos.

1911 a 1935:
residência governamental, após a compra do edifício pelo Governo do Estado.

1936 a 1965-67:
residência governamental e sede de Governo.

1967 a 1972:
fechado para restauro após um incêndio que destruiu parte do edifício.

1972 a 2006:
sede administrativa de diferentes secretarias e órgãos do governo.

2006 a 2016:
fechado para seu segundo restauro.

2017 a 2019:
abrigou o Centro de Referência em Inovação do SEBRAE.

2022:
nasce o Museu das Favelas, trazendo o protagonismo das favelas para dar um novo sentido a este Palácio!

O Museu das Favelas está em processo de construção, realizando ações que promovam o debate e reflexão e realizando diversas ações de manutenção no 1º e 2º andar do edifício. A abertura prevista para esse 2º semestre de 2022, oferecerá atividades no térreo e subsolo ao público de forma gratuita.

Ficha técnica

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Governador | Rodrigo Garcia
Secretário de Estado de Cultura e Economia Criativa | Sérgio Sá Leitão
Secretário Executivo de Estado de Cultura e Economia Criativa | Rogério Custódio de Oliveira
Chefe de Gabinete | Frederico Mascarenhas
Coordenadora da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico | Paula Paiva Ferreira

Diretora do Grupo de Preservação do Patrimônio Museológico | Suzy da Silva Santos
Diretora do Grupo Técnico de Coordenação do Sistema Estadual de Museus | Renata Cittadin
Diretora do Núcleo de Apoio Administrativo | Denise dos Santos Parreira

Equipe técnica da Unidade de Preservação do Patrimônio Museológico
Angelita Soraia Fantagussi | Carolina Rocha Teixeira | Edna Lucia da Cruz | Fabiana Josefa da Silva Magalhães Araújo | Kelly Rizzo Toledo Cunegundes | Luana Gonçalves Viera da Silva | Luciana Andrade Thomazella | Luiz Fernando Mizukami | Marcia Pisaneschi Sorrentino | Marcos Antônio Nogueira da Silva | Mirian Midori Peres Yagui | Rafael Egashira | Regiane Lima Justino | Roberta Martins Silva | Tayna da Silva Rios

IDG – INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO

Diretor Presidente | Ricardo Piquet
Diretora de Governança e Gestão: Simone Rovigati
Diretora de Negócios e Parcerias: Julianna Guimarães
Diretora do Museu das Favelas: Daniela Alfonsi

Conselho de Administração

Regina Márcia Nunes Gaudêncio (Presidente do Conselho de Administração I) | Roberto Souza Leão Veiga (Presidente do Conselho de Administração II) | Ana Lucia Poças Zambelli (Vice-Presidente dos Conselhos de Administração) | Suzana Kahn Ribeiro | Danielle Gomes de Almeida Valois | Luis Gustavo Costa Araújo | Márcia Pimentel Carneiro | Marcus Vinicius Ramos Ribeiro | Joseph Brais Júnior | José Renato Rodrigues Ponte

Conselho Fiscal

Renato Sobral Pires Chaves (Presidente do Conselho Fiscal) | Luiz Félix de Freitas | Wander Moreira da Silva

Liderança de Áreas

Administrativo e Financeiro: Ana Paula Maia | Assessora Executiva: Luciana De Lamare | Compliance: Márcia Carneiro | Contabilidade: Patrícia Martins | Departamento Pessoal: Uanes Teles | Jurídico: Bruna Martins | Operações e Tecnologia: Jorge Varella | Orçamento e Custos: Alexandra Taboni Massa | Patrocínio e Comercial: Daniel Bruch | Patrocínio e Relacionamento: Andrea Lombardi | Pessoas e Cultura Organizacional: Patrícia Horta | Planejamento, Performance e Processo: Nicole Sieiro | Suprimentos: Josias Mendes

MUSEU DAS FAVELAS

Ações Educativas: Vanessa Marinho – Coordenação; Cícero Ferreira – Auxiliar de Atendimento; Danee Alves Amorim – Auxiliar de Atendimento; Érika Augusta da Silva – Educadora; Fábio Santos Souza – Educador; Henrique Martins – Auxiliar de Atendimento; Isabelle Santos da Silva – Educadore; Israel Brito – Educador; Kissy Luan – Educadore; Mayara Soares – Educadora; Weverton Camargo – Educador, Roberta Camargo – Auxiliar de Atendimento; Sayonara da Silva – Auxiliar de Atendimento; Tailquison Santos – Auxiliar de Atendimento. 
Administrativo e Financeiro: Erica Mantovanello – Coordenação; Adriana Santos – Analista de Compras Jr; Ana Paula Rodeani Silva – Analista de Compras Jr.; Andressa Ferreira – Assistente de Departamento Pessoal; Jeniffer Caroline Ribeiro – Assistente Administrativo; Leandro Aparecido Reis Brasil – Advogado Sênior.
Centro de Referência e Pesquisa: Renata Tavares Furtado – Coordenação; João Pedro Rodrigues da Conceição – Museólogo; Marina Barbosa – Produtora Executiva; Vívian Egídio – Pesquisadora; Bruno Almeida – Bibliotecário; Sidnei Rodrigues – Bibliotecário.
Comunicação: Priscilla Fenics – Coordenação; Vanderson Silva Santos – Analista de Comunicação Jr.; Ana Carolina Apolinário – Assistente de Comunicação.
Edificações: Marco Antonio Neves – Coordenação; Vitor Raniele Tavares Ribeiro – Analista de TI Pleno; Geovani Luiz Senhorin – Analista de TI Júnior; Adriano Monteiro da Silva – Assistente de Manutenção; Alexsandra Santos Lima – Assistente Administrativa de Edificações; Renato da Rocha Sampaio – Oficial de Manutenção Predial;  Wellington de Godoy Ferreira– Assistente de Manutenção; Airton Neves Antônio – Oficial de Manutenção Predial.
Relações Institucionais: Carla Zulu – Coordenação; Marcelo Cavanha – Articulador Social.

Como chegar

Fica próximo da Estação Júlio Prestes (Linha 8 – Esmeralda) da CPTM;

As estações de metrô mais próximas são Santa Cecília (Linha 3 – Linha Vermelha) e Luz (Linha 1 – Azul e Linha 4 – Amarela).

Ônibus

O Museu fica ao lado do Terminal de Ônibus Princesa Isabel. Visite o site da SPTrans.com.br para conhecer as linhas de ônibus que operam na região.

Aviso

Esta página é temporária

Em breve, o site do Museu das favelas será lançado com vários conteúdos pra você!